O que é cooperativismo?

COOPERATIVISMO é um movimento, filosofia de vida e modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática, solidariedade, independência e autonomia. É o sistema fundamentado na reunião de pessoas e não no capital. Visa às necessidades do grupo e não do lucro. Busca prosperidade conjunta e não individual.

cooperativismo-logoSímbolos universais do cooperativismo

  • Pinheiro – Símbolo da imortalidade e da fecundidade pela sua sobrevivência em terras menos férteis e pela facilidade na sua multiplicação.
  • Círculo – Representa a vida eterna, pois não tem horizonte final, nem começo, nem fim.
  • Verde – O verde escuro das árvores lembra o princípio vital da natureza.
  • Amarelo – O amarelo ouro simboliza o sol, fonte de energia e calor.

Assim nasceu o emblema do Cooperativismo: um círculo abraçando dois pinheiros, para indicar a união do movimento, a imortalidade de seus princípios, a fecundidade de seus ideais, a vitalidade de seus adeptos. Tudo isso marcado na trajetória ascendente dos pinheiros que se projetam para o alto, procurando subir cada vez mais.

O que é uma Cooperativa?

COOPERATIVA é uma associação de pessoas com interesses comuns, economicamente organizada, de forma democrática, isto é, contando com a participação livre de todos e respeitando direitos e deveres de cada um de seus cooperados, aos quais presta serviços, sem fins lucrativos.

Princípios do cooperativismo:

  1. Adesão voluntária e livre: Todas as pessoas estão aptas a se tornarem cooperadas, independente de etnia, posição social, cor, política partidária ou credo, bastando estar de acordo com os princípios cooperativistas.
  2. Gestão democrática: As cooperativas são organizações democráticas, administradas conforme a vontade dos cooperados, que escolhem a diretoria através de voto, em Assembleia Geral.
  3. Participação econômica dos cooperados: Os cooperados, habitualmente, recebem uma remuneração, de acordo com o capital investido. O excedente geralmente é destinado para o desenvolvimento da cooperativa ou para benefício dos membros, na proporção de suas transações.
  4. Autonomia e independência: As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas pelos seus membros. Se firmarem acordo com outras organizações, incluindo instituições públicas ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegure o controle democrático pelos seus membros e mantenham a autonomia da cooperativa.
  5. Educação, formação e informação: As cooperativas promovem a educação e a formação de seus membros, dos representantes eleitos, gerentes e colaboradores, de forma que esses possam contribuir, eficazmente, para o desenvolvimento de suas cooperativas.
  6. Intercooperação: As cooperativas servem de forma mais eficaz os seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais. As cooperativas só serão eficientes se agregarem qualidade, produtividade e economia de escala nos serviços.
  7. Interesse pela comunidade: As cooperativas contribuem para o desenvolvimento da comunidade com a geração de empregos, produção, serviços e preservação do meio ambiente, mediante políticas aprovadas pelos seus cooperados.