Logo

Ir para
Certaja Energia
Ofertas!    Consulta cartão  /   Trabalhe conosco  /  SAC  /  Contatos  /  Webmail  /  Zimbra
Horizontal Drop Down Menus
Cardápio diário
Untitled Document
Cooperativismo:

O que é uma cooperativa?
 

Cooperar é fazer uma obra em conjunto, trabalhar em colaboração, dirigir os esforços de modo coordenado para a realização de metas comuns. Cooperativismo é a livre associação de pessoas que, em colaboração, formam organizações econômicas destinadas a promover os benefícios sócio-econômicos mútuos dos filiados sem visar o lucro. O cooperativismo, como seu próprio nome diz, tem como sua maior finalidade, libertar o homem do seu individualismo e ignorância através da cooperação entre os seus associados, satisfazendo assim as suas necessidades. Esse sistema defende a reforma pacífica e gradual da coletividade e a solução dos problemas comuns através da união, auxílio mútuo e integração entre as pessoas. Busca a correção de desníveis e injustiças sociais com a repartição eqüitativa e harmoniosa de bens e valores.


Quais são as vantagens do sistema cooperativo ?
Os esforços são conjuntos e direcionados para o bem de todos, ou seja, todos ganham. A cooperativa é uma forma concreta de organização social que, com base em relações igualitárias, reúne agentes econômicos empenhados em satisfazer objetivos comuns, seja de consumo, de trabalho ou produção. A cooperativa difere da empresa privada e do governo, retendo características de cada um.


Princípios cooperativistas:

Adesão livre e voluntária:
Cooperativas são organizações voluntárias abertas para todas pessoas aptas para usar seus serviços e dispostas a aceitar suas responsabilidades de sócio sem discriminação de gênero, social, racial, política ou religiosa.


Controle democrático pelos sócios:
As cooperativas são organizações democráticas controladas pelos seus sócios, os quais participam ativamente no estabelecimento de suas políticas e nas tomadas de decisões. Homem e mulheres, eleitos como representantes, são responsáveis junto dos sócios. Nas cooperativas singulares, os sócios tem igualdade na votação (um sócio = um voto).


Participação econômica dos sócios:
Os sócios contribuem eqüitativamente e controlam democraticamente o capital de sua cooperativa. Parte desse capital é usualmente propriedade comum do empreendimento, alocado para o seu desenvolvimento. Usualmente, os sócios recebem juros limitados (se houver algum) sobre o capital, como condição de sociedade. Os sócios destinam as sobras aos seguintes propósitos: desenvolvimento das cooperativas, possibilitando a formação de reservas, parte dessas podendo ser indivisíveis; retorno aos sócios na proporção de suas transações com as cooperativas e apoio a outras atividades aprovadas pelos sócios.


Autonomia e independência:
As cooperativas são organizações autônoma de ajuda mútua, controladas por seus membros. Entretanto em acordo operacional com outra entidades, inclusive governamentais, ou recebendo capital de origem externa, elas devem fazê-lo em termos que preservem o seu controle democrático pelos sócios e mantenham sua autonomia.

Educação, treinamento, informação:
As cooperativas oferecem educação e treinamento para os seus sócios, representantes eleitos, administradores e funcionários para que eles possam contribuir efetivamente para o seu desenvolvimento. Também informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes formadores de opinião, sobre a natureza e os benefícios da cooperação.

Cooperação entre cooperativas:
As cooperativas atendem seus sócios mais efetivamente e fortalecem o movimento cooperativo trabalhando juntas, através de estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.

Preocupação com a humanidade:
As cooperativas trabalham pelo desenvolvimento sustentável de suas comunidades, através de políticas aprovada por seus membros.



A origem do símbolo:
O círculo envolvendo dois pinheiros representa a união do movimento, a imortalidade de seus princípios, a fecundidade de seus ideais e a vitalidade de seus adeptos. A trajetória ascendente dos pinheiros simbolizam o movimento crescente do cooperativismo no mundo.

A história do cooperativismo:
O cooperativismo foi idealizado por vários precursores e aconteceu de fato em 1844, quando 28 tecelões do bairro de Rochdale, em Manchester, na Inglaterra, criaram uma associação que, mais tarde, seria chamada de cooperativa. Explorados na venda de alimentos e roupas no comércio local, os artesãos montaram, primeiro, um armazém próprio. Depois a associação apoiou a construção ou a compra de casas para os tecelões e montou uma linha de produção para os trabalhadores com salários muito baixos ou desempregados. Desde então, as cooperativas existem em vários setores e em todo mundo. Os valores e princípios cooperativos foram preservados, com pequenas alterações, ao longo destes anos. As normas de organização e de funcionamento dessa cooperativa, elaboradas pelos tecelões, passaram a constituir não somente o modelo cooperativista adotado em todo mundo, como também a própria base da filosofia do cooperativismo. Os planos desses pioneiros eram muito ambiciosos: pretendiam a reformulação dos meios econômicos e sociais da época.




Untitled Document
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cooperativa De Geração de Energia e Desenvolvimento Taquari Jacui
Rua Sete de Setembro, 2635 - Bairro Centro
Fone: (051)3653-6600
Site hospedado na LOCAWEB


  Email: certaja@certaja.com.br
• Política de privacidade
• Desenvolvimento