A CERTAJA Energia atende a Resolução Normativa ANEEL nº 482/12 (atualizada pela Resolução Normativa ANEEL nº 687/2015), que estabelece as condições gerais para o acesso de geração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, na forma de microgeração (até 75 kW) e minigeração (acima de 75kW), assim como regulamenta o processo de compensação de energia elétrica.

As exigências técnicas e comerciais adotadas pela CERTAJA para conexão na modalidade de Microgeração e Minigeração correspondem ao estabelecido nas normas vigentes:

Dessa forma a CERTAJA permite que unidades consumidoras previamente cadastradas disponibilizem energia de fontes alternativas (hidráulica, solar, eólica, biomassa ou cogeração qualificada) por meio de empréstimo não remunerado à CERTAJA para compensação em até 60 meses na forma de consumo de energia elétrica ativa.

Orientamos nossos cooperados sobre a importância de contratar profissionais qualificados para o projeto e a instalação da geração, bem como a aquisição de materiais e equipamentos certificados, sendo critério de reprova para todos os projetos que não atentem as informações contidas nesse site.

Disponibilizamos equipes técnicas e comerciais para realização de esclarecimentos aos clientes e profissionais interessados, inclusive através de reuniões presenciais, que podem ser agendadas através do e-mail gd@certaja.com.br

Casos não abrangidos pela Resolução Normativa nº 482/12, como centrais geradoras que desejam comercializar a energia gerada ou que possuam potência instalada superior a 3 MW para fontes hídricas ou 5 MW para outras fontes específicas, devem contatar a Cooperativa pelo e-mail comercialenergia@certaja.com.br

Abaixo a documentação necessária a ser encaminhada pelo acessante de acordo para cada solicitação: consulta de acesso e solicitação de acesso para Minigeração e Microgeração distribuída, para acesso aos prazos regulatórios das respectivas etapas acessar página 14 e 15 da OTD 035.01.08

Documentação pode ser encaminhada de forma digital via e-mail ou em nossos postos de atendimento por meio de documento impresso. gd@certaja.com.br
MICROGERAÇÃO DISTRIBUÍDA

Documentação necessária para solicitação de acesso:

MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA

Documentação necessária para solicitação de acesso:

Documentação necessária para consulta de acesso:

 

Conforme normas vigentes caso a documentação estabelecida esteja incompleta, a distribuidora deve, imediatamente, recusar o pedido de acesso e notificar o acessante sobre todas informações pendentes, devendo o acessante realizar uma nova solicitação de acesso após a regularização das pendências identificadas.

Salientamos que padrões e informações anteriormente aplicados serão mantidos como requisitos para aprovação de projeto e liberação de conexões. Clique para saber mais.

Não é permitida a conexão de geração distribuída antes da vistoria e respectiva autorização da CERTAJA, sendo cabível a suspensão de acordo com Art. 170 da Resolução Normativa ANEEL nº 414/2010. Também cabe notificação ao responsável técnico com representação junto ao Conselho (CREA).

Compete ao acessante a iniciativa de instalação de micro ou minigeração distribuída, portanto a cooperativa conforme normas aplicáveis não estabelece o custo dos geradores e tampouco eventuais condições de financiamento. Portanto, o acessante deve analisar a relação custo/benefício para instalação dos geradores, com base em diversas variáveis: tipo da fonte de energia (painéis solares, turbinas eólicas, geradores a biomassa, etc), tecnologia dos equipamentos, porte da unidade consumidora e da central geradora, localização (rural ou urbana), valor da tarifa à qual a unidade consumidora está submetida, condições de pagamento/financiamento do projeto e existência de outras unidades consumidoras que possam usufruir dos créditos do sistema de compensação de energia elétrica.

Por fim, é importante ressaltar que, para unidades consumidoras conectadas em baixa tensão (grupo B), ainda que a energia injetada na rede seja superior ao consumo, será devido o pagamento referente ao custo de disponibilidade – valor em reais equivalente a 30 kWh (monofásico), 50 kWh (bifásico) ou 100 kWh (trifásico). Já para os consumidores conectados em alta tensão (grupo A), a parcela de energia da fatura poderá ser zerada (caso a quantidade de energia injetada ao longo do mês seja maior ou igual à quantidade de energia consumida), sendo que a parcela da fatura correspondente à demanda contratada será faturada normalmente.

Para mais informações sobre Geração Distribuída acesse o site da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL